Quais os tipos de inflação? O que causa inflação?

Maio 03, 2022 02:44 Europe/Lisbon
Tempo de leitura: 14 minutos
Existem muitos tipos de inflação: deflação, hiperinflação, inflação galopante. Além disso, existem muitos termos que incluem inflação e crescimento, tais como desinflação ou a temida estagflação.

Com este artigo contamos todos os detalhes dos tipos distintos de inflação, as suas causas e como podemos calcular.

O que é a inflação?

O termo inflação refere-se ao aumento generalizado do nível de preços de bens e serviços numa economia durante um período de tempo.

 A inflação é um fenómeno natural, que ocorre quando há um desequilíbrio entre a oferta e a procura.

Como consequência direta da inflação, há uma perda de poder de compra, ou por outras palavras, com o mesmo dinheiro que se tinha antes, tem menos capacidade de comprar bens e serviços.

❗No entanto, a inflação nem sempre deve ser considerada um fenómeno desagradável.

Para atingir os objetivos de crescimento económico, as diferentes economias do mundo dispõem de ferramentas para ajustar as políticas fiscal e monetária.

A política monetária é realizada pelos bancos centrais, cujo objetivo principal é a estabilidade de preços, ou seja, o controlo da inflação. O objetivo da maioria dos Bancos Centrais do mundo é atingir um certo nível de inflação.

No caso das economias desenvolvidas, esse objetivo é público e aproxima-se de 2%, como é o caso da Reserva Federal ou do Banco Central Europeu. Porquê uma meta de inflação? Colocar uma meta de inflação muito alta pode causar consequências indesejáveis ​​nas economias. Explicamos abaixo.

Tipos de inflação

Existem 2 tipos principais de inflação:

Deflação

Existe inflação negativa? Sim, a inflação negativa é possível, caso em que será chamada de deflação. Este é um fenómeno raro e geralmente está relacionado ao excesso de oferta e uma procura insuficiente.

O caso mais próximo de deflação ocorreu na Grécia por 33 meses consecutivos entre 2013 e 2015.

Geralmente, a deflação geralmente está relacionada a recessões económicas profundas e/ou depressão de uma determinada economia.

Hiperinflação

E se a inflação estiver alta? Este fenómeno é chamado de hiperinflação. Este é um tipo indesejado de inflação que implica um sério risco para a economia.

Os principais efeitos da hiperinflação são:

  • Tende a aumentar o consumo de bens de consumo duráveis ​​e grandes investimentos;
  • A atração de moedas fortes como o dólar americano aumenta;
  • Aumento nos custos: decorrente da constante variação de preços que os estabelecimentos devem realizar nos preços de seus produtos. Às vezes mais de uma vez por dia;
  • O resultado final da hiperinflação geralmente é que o banco central perde a capacidade de influenciar a economia por meio da política monetária e muitas vezes leva a um declínio acentuado no bem-estar da sociedade.

✔️ Exemplos de países com hiperinflação

Existem diferentes exemplos de hiperinflação. O exemplo académico por excelência é aquele sofrido pela Alemanha durante a década de 1920 e que, sem dúvida, teve e ainda tem um papel importante no pensamento e na política seguida pelo Banco Central Europeu, onde é preferível sacrificar o crescimento em favor de um controle rígido da inflação.

Embora existam muitos outros exemplos que ocorreram ao longo da história, possivelmente o fenómeno mais recente da hiperinflação é o caso da Venezuela em fevereiro de 2014, quando as autoridades venezuelanas indicaram que a inflação atingiu 68,5%.

Além da hiperinflação e deflação, existe uma terceira opção: inflação nula.

✔️ Rigidez descendente da oferta. Inflação zero

Nos modelos económicos de oferta e procura, geralmente considera-se que há rigidez para baixo na oferta.

Como reagiria se lhe propusessem pagar menos e trabalhar mais? Certamente não estaria disposto. Geralmente, todos procuram obter um aumento do seu poder de compra já que, por natureza, depois de ter atingido um determinado nível, atinge-se uma certa qualidade de vida e não se quer voltar ao estado anterior.

Esta situação para a empresa implica um aumento dos custos de produção e é semelhante ao que normalmente ocorre com os restantes custos do processo produtivo: aluguer, maquinaria, matérias-primas...

Ou seja, geralmente há um aumento nos custos da cadeia de valor, que são transferidos para o produto final.

Esta situação também pode ser observada no trading, é algo psicológico. Se já comprou uma ação que caiu em vez de subir, mas continua mantendo-a no seu portfólio porque não quer vender com prejuízo?

Esta rigidez descendente é uma das razões por trás do objetivo dos bancos centrais de manter um certo nível de inflação. Após analisar os efeitos da inflação alta e da inflação nula, considera-se positivo que as economias tenham uma inflação pequena.

✔️ Inflação anunciada e próxima de 2% pelos Bancos Centrais

Esta é a política monetária por excelência, onde os bancos centrais procuram manter as taxas de inflação próximas dos 2%, com conferências de imprensa frequentes onde comunicam a evolução destas taxas e as medidas que estão a ser tomadas para atingir este objetivo.

Outros tipos de inflação

Entre a inflação nula e a hiperinflação, existe uma gama importante de tipos de inflação, cada um com uma série de características e formas de parar/reduzir.

Alguns destes tipos são:

Inflação lenta Os preços aumentam 2% a 3% ou menos por ano. Os consumidores esperam que os preços continuem a subir e compram agora, aumentando a procura. A inflação lenta é vista como positiva para o crescimento económico.
Inflação rápida Os preços aumentam entre 3% e 10% ao ano. Os consumidores começam a comprar mais do que precisam para evitar preços mais altos no dia de amanhã. O custo das matérias-primas e os salários dos trabalhadores aumentam e, consequentemente, a economia começa a sobreaquecer.
Inflação galopante O crescimento dos preços está acima de 10%, causando caos na economia. O dinheiro perde valor muito rápido, o rendimneto da população também.

A principal plataforma multi-ativos do mundo

Crescimento e inflação

Geralmente, as economias tentam crescer de forma constante. No entanto, esta situação nem sempre é alcançada.

Um exemplo próximo pode ser encontrado na crise do coronavírus de 2020, onde a maioria das economias do mundo entrou em recessão, ou seja, tiveram uma queda no seu produto interno por pelo menos dois trimestres consecutivos.

Foi mencionado anteriormente que o objetivo dos bancos centrais é a estabilidade de preços e o crescimento económico, enquanto a política fiscal de longo prazo procura o crescimento económico.

Qual é a relação entre inflação e crescimento? A principal relação que pode ser obtida é que, se a economia cresce mais rápido do que se deteriora devido à inflação, o crescimento real está a ser alcançado.

O que é a desinflação? Crescimento económico e inflação

O que acontece se a inflação exceder o crescimento? Nesse caso falamos de desinflação. É importante ter em mente que a desinflação implica em crescimento económico e inflação, mas como a inflação é maior que o crescimento económico, há uma perda de bem-estar real.

Exemplo

Em termos gerais, digamos que tem um salário de €100 e toda a semana faz uma compra por €100. Agora está numa situação equilibrada.

▶️ Se o seu salário crescer menos que o custo da sua compra semanal, mesmo cobrando mais, acabou de perder poder de compra e consequentemente bem-estar.

Portanto, a desinflação é uma situação indesejável.

O que é a estagflação? Deterioração económica e inflação

O que acontece se a inflação exceder o crescimento? Esta seria a definição de estagflação. Ou seja, uma situação em que o país está em recessão e os cidadãos têm cada vez menos capacidade de adquirir bens e serviços que continuam a subir de preço.

É uma situação temida pelas consequências ocorridas no passado, como a crise petrolífera nos EUA durante a década de 1970 ou na Argentina em 2011.

Quais são as causas da temida estagflação?

As principais causas são os choques da oferta. Estas alterações na oferta geralmente têm origem no custo das matérias-primas e geralmente estão centradas com a energia.

Este aumento do custo da energia tem um efeito multiplicador na cadeia de abastecimento.

Como combater a estagflação?

As medidas mais comuns aplicadas são medidas fiscais, como subsídios à produção, assistência social e aumentos do salário mínimo.

São medidas que raramente alcançam o efeito desejado, como aconteceu nos Estados Unidos durante a crise do petróleo da década de 1970.

Do ponto de vista monetário, foram realizadas outras medidas que tentaram aumentar a competitividade do país, por meio de desvalorizações como as experimentadas pela Argentina em 2011.

Quais são as consequências da estagflação?

Os efeitos diretos são a perda de poder aquisitivo, aumento do desemprego, queda do PIB e consequentemente perda de bem-estar.

Como calcular a inflação?

A inflação é calculada de diferentes formas, dependendo dos tipos de bens e serviços envolvidos. Estes são os indicadores mais populares que medem a inflação:

▶️ Índice de Preços do Consumidor (IPC) - O índice de preços do consumidor mede a variação percentual dos preços de um cabaz de bens e serviços frequentemente utilizado pelas famílias. Este indicador económico para calcular a inflação é amplamente utilizado na maioria dos países do mundo. É claro que, em diferentes países, pode haver diferenças neste cavaz com base na qual o indicador é calculado.

▶️  Índice de Preços do Produtor (IPP) - O índice de preços do produtor é uma medida de inflação composta por um conjunto de índices que medem a variação média dos preços de venda recebidos pelos produtores domésticos de bens e serviços ao longo do tempo.

Alguns governos e bancos centrais optam por usar outros indicadores para medir a inflação. Por exemplo, a Reserva Federal dos EUA usa um índice de gastos do consumidor pessoal como seu indicador preferido de inflação. Dependendo da metodologia de cada país, uma determinada fórmula será usada para calcular a inflação.

Poderá consultar a sua publicação, juntamente com os restantes indicadores relevantes, no calendário económico.

Quais são as causas da inflação?

Há muitas razões que podem impulsionar os preços numa economia para cima ou para baixo. No entanto, a inflação é geralmente o resultado de um aumento nos custos de produção ou um aumento na procura por produtos e serviços. Vejamos estes dois casos com mais detalhes.

✅ A inflação por um aumento dos custos ocorre quando os preços sobem devido ao aumento dos custos de produção (matérias-primas, salários, etc.).

A procura de bens mantém-se inalterada à medida que a oferta diminui, num contexto de custos de produção mais elevados.

Como resultado, o custo adicional de produção é transferido para os consumidores como preços mais altos.

✅ A inflação da procura é causada pelo aumento da procura do consumidor por um produto ou serviço ou quando os consumidores tendem a pagar mais por um produto ou serviço.

Em ambos os casos, o preço de um produto ou serviço aumenta. As ações de empresas que têm maiores oportunidades de lucro (maiores margens) podem subir.

Negoceie com uma Conta Demo sem risco

Pratique trading com fundos virtuais

Como se combatem os diferentes tipos de inflação?

A inflação é um fenómeno monetário. Os bancos centrais dispõem de uma série de ferramentas que utilizam para controlar o nível de preços.

A maneira mais comum de reduzir os vários tipos de inflação é influenciar as taxas de juro por meio de operações de mercado aberto, facilidades permanentes e política de reservas.

O aumento da taxa de juro é um incentivo à poupança, ao mesmo tempo que reduz a quantidade de dinheiro em circulação, uma vez que a maioria das dívidas financeiras emitidas por instituições financeiras (bancos) estão diretamente relacionadas à taxa de juro, por exemplo, as hipotecas.

Esta situação tende a atrair capital estrangeiro, valorizando a moeda, ao mesmo tempo em que aumenta a atractividade da renda fixa sobre as ações, principalmente em termos de risco.

É por isso que os traders geralmente interpretam um aumento da taxa como um sinal de alta numa determinada moeda.

Embora seja importante ter em mente que retornos passados ​​não garantem retornos futuros.

Se estiver interessado em analisar, juntamente com os nossos especialistas, o impacto destas conferências, poderá fazê-lo nos webinars ao vivo que costumamos fazer na Admiral Markets, que também enviamos para o YouTube, como aconteceu a 16 de março de 2022 com a decisão da taxa de juro e subsequente conferência de imprensa da Fed (em espanhol).

 

Como a inflação afeta o investimento?

Provavelmente já ouviu o ditado "Há sempre dois lados da moeda". Em qualquer situação da vida real, há vencedores e perdedores. A inflação não foge a esta regra.

Embora os consumidores não tenham grandes benefícios com a inflação (ou vice-versa), os investidores podem beneficiar-se do aumento dos preços do consumidor mantendo títulos e outros ativos nos mercados financeiros.

Ao mesmo tempo, as empresas podem beneficiar-se e ser beneficiadas pela inflação.

Em suma, a inflação pode beneficiar:

  • Algumas empresas: aquelas que podem facilmente aumentar os preços dos seus produtos sem perder clientes, como empresas de bens de consumo ou empresas de serviços públicos, por exemplo.
  • Mutuários: o aumento dos preços pode significar uma deterioração do empréstimo, mas aqui deve-se levar em conta que a renda também é desvalorizada.
  • Investidores: Investidores inteligentes que conseguiram prever o aumento da inflação e direcionar os ativos certos podem até acabar a lucrar com o aumento dos preços.

Mas vejamos também quem serão os grandes perdedores com o aumento da inflação.

  • Poupanças. Aqueles que mantêm as suas economias em dinheiro (depósitos bancários) serão os maiores perdedores com a alta inflação à medida que os preços crescentes consomem o poder de compra. Não é por acaso que a inflação é chamada de 'assassina silenciosa do dinheiro'.

Poderá encontrar mais informações sobre o que fazer para se proteger da inflação no nosso artigo Como proteger-se contra a inflação?

No entanto, pode consultar a nossa oferta de ações e ETFs de 16 das maiores bolsas de valores do mundo. Comece a investir a partir de apenas 1€ clicando no banner abaixo:

CFDs de ETFs

Negoceie CFDs dos fundos negociados em bolsa (ETFs) mais populares

Perguntas frequentes sobre a inflação

O que é a inflação subjacente?

A inflação subjacente ou inflação básica é a inflação resultante após a remoção de alimentos e produtos energéticos do cálculo do IPC.

Qual é o deflator do PIB?

O deflator do PIB é a razão entre o PIB nominal e o PIB real.

Este instrumento é usado para descobrir a parte do crescimento de uma economia que é consequência da inflação.

 

INFORMAÇÃO SOBRE MATERIAIS ANALÍTICOS:  

Aviso: Os dados fornecidos fornecem informações adicionais sobre todas as análises, estimativas, prognósticos, previsões ou outras avaliações ou informações similares (doravante "Análise") publicadas nos websites das empresas de investimento da Admiral Markets. Antes de tomar qualquer decisão de investimento, preste muita atenção ao seguinte:

  • Esta é uma comunicação de marketing. A análise é publicada por motivos informativos apenas e não é construída sob a forma de aconselhamento ou recomendação de investimento. Não foi elaborado de acordo com os requisitos legais destinados a promover a independência da pesquisa de investimento, e que não está sujeito a qualquer proibição de lidar com a disseminação da pesquisa de investimento.
  • Qualquer decisão de investimento é tomada por cada cliente, enquanto a Admiral Markets não será responsável por qualquer perda ou dano decorrente de tal decisão, com ou sem base na Análise.
  • Para garantir que os interesses dos clientes sejam protegidos e a objetividade da Análise não seria prejudicada, a Admiral Markets estabeleceu procedimentos internos relevantes para a prevenção e gestão de conflitos de interesse.
  • Cada uma das Análises é preparada por um analista independente,(doravante "Autor"), com base em estimativas pessoais.
  • Embora todos os esforços razoáveis sejam feitos para garantir que todas as fontes da Análise sejam fiáveis e que todas as informações sejam apresentadas, tanto quanto possível, de uma forma compreensível, oportuna, precisa e completa, a Admiral Markets não garante a exatidão ou integridade de qualquer Análise ou informações contidas na Análise. Os números apresentados referem que qualquer desempenho passado não é um indicador confiável de resultados futuros.
  • O conteúdo da Análise não deve ser interpretado como uma promessa expressa ou implícita, garantia ou implicação por parte da Admiral Markets de que o cliente lucrará com as estratégias aqui contidas ou que as perdas em relação a elas serão limitadas.
  • Produtos alavancados (incluindo contratos por diferença) são de natureza especulativa e podem resultar em perdas ou lucros. Antes de começar a negociar, certifique-se de que compreende todos os riscos.
Javier Oliván
Javier Oliván Analista Financeiro e Criador de Conteúdo, Admirals Espanha

Javier é um economista especializado em economia internacional, com mestrado em comércio internacional e uma paixão pelo mercado financeiro, onde investe há mais de 15 anos.